terça-feira, 8 de maio de 2012


Os Príncipais Reis Absolutistas

- Henrique VIII (Dinastia Tudor) = governou a Inglaterra no século XVII, fundou a Igreja Anglicana e no mesmo ano que que se tornou o rei da Inglaterra em 1509, se casou com Catarina de Aragão, viúva do seu irmão Arthur e filha do rei espanhol Fernando de Aragão. Dos cinco filhos, apenas a Princesa Maria sobreviveu. Henrique VIII sentiu que a dinastia estava ameaçada por não ter um filho homem, então pediu o seu divorcio ao Papa Clemente VII, que foi negado, pois a Igreja Católica proibia. Com a ajuda do Arcebispo da Cantuária, seu divorcio foi efetivado. O rei se proclamou Chefe Supremo da Igreja na Inglaterra e fundou a Igreja Anglicana. O Parlamento Inglês declarou que o direito divino dos reis substituía a autoridade da Igreja. Sabendo disso o Papa o excomungou.
O divorcio de Henrique VIII e Catarina de Aragão marcou o início da Reforma Inglesa .Em 1533 casa-se com Ana Bolena, dama de honra de Catarina, com quem teve apenas uma filha, Elizabeth I.

- Elizabeth I  (Dinastia Stuart) = rainha da Inglaterra no século XVI, Elizabeth I (1533-1603), rainha da Inglaterra e da Irlanda (1558-1603), filha de Henrique VIII e de Ana Bolena. Última representante da dinastia Tudor a ocupar o trono da Inglaterra.Em 1558, com a morte de sua meia-irmã Maria I, a Católica, também conhecida como Maria Tudor, Elizabeth tornou-se rainha. Na ocasião, a Inglaterra estava dividida pelo conflito religioso, economicamente instável e em guerra com a França. O primeiro problema enfrentado por Elizabeth I foi de natureza religiosa. Converteu-se ao protestantismo, imediatamente após a morte de Maria I, que havia restaurado o catolicismo e se casado com Felipe II da Espanha. O seu primeiro Parlamento (1559), de maioria protestante, aprovou a legislação religiosa que mais tarde se converteria na base doutrinária da igreja anglicana da Inglaterra.

- Luis XIV (Dinastia dos Bourbons) = (conhecido como Rei Sol) governou a França entre 1643 e 1715, Luís XIV foi o homem que batizou o papa, pois foi um religioso muito convicto que virou rei com a morte do pai, Luís XIII. Credita-se a ele a frase "Eu quase que esperei". Dizia isso, mesmo com todas as suas carruagens chegando à hora marcada, o que demonstra bem o carácter absolutista e a visão de Rei-sol que ele tinha de si mesmo. O período de regência exercido pela mãe de Luís terminou oficialmente em 1651, quando ele tinha 16 anos. Luís assumiu o trono, mas Mazarino continuou a controlar os assuntos de Estado até 1661. Outros membros do governo esperavam que fosse substituído por Nicolas Fouquet, o superintendente de finanças. Ele não só não assumiu como foi preso por má administração do Tesouro francêsO Tesouro estava perto da falência quando Luís XIV assumiu o poder. As coisas não melhoraram já que ele gastava dinheiro extravagantemente, despendendo vastas somas de dinheiro financiando a Corte Real.

- Luis XV, O Bem Amado (Dinastia dos Bourbons) = governou a França entre 1715 e 1774. Em termos sociais, no campo os agricultores tinham baixíssimos rendimentos e os privilégios ainda eram pertença de uma minoria de nobres e do alto clero. O monarca propôs reformas fiscais relativamente a estes privilégios, mas de uma forma autoritária, o que veio a reflectir-se negativamente, porque se voltaram contra si quer os privilegiados quer as facções contrárias ao absolutismo.
O agravamento da situação teve origem na política externa da França: a rivalidade com os Habsburgos e as necessidades impostas pela expansão marítima. O monarca não soube gerir simultaneamente com sucesso estes dois assuntos, dado que perdeu quase todos os territórios ultramarinos no Tratado de Paris, conseguindo no entanto fazer uma aliança com os Habsburgos contra a Prússia. O duque de choiseul tentou restaurar a ordem, procurando soluções para os danos causados pela Guerra dos Sete Anos. Ele reorganizou a marinha e o exército, anexou a Lorena e a Córsega, mas, excessivamente favorável ao Parlement, teve de ceder seu lugar ao triunvirato constituído por Maupeou, Terray e d'Aiguillon (1770-1774). Sua profecia, "depois de mim, o dilúvio", cumpriu-se, duas décadas mais tarde, com a queda da monarquia francesa.

- Luis XVI ( Dinastia dos Bourbons) = governou a França entre 1774 e 1791.Luís XVI(1754-1793), rei francês da dinastia de Bourbon, foi o último monarca a governar antes da Revolução Francesa e acabaria sendo guilhotinado em 1793 após a ascensão da Convensão e a abolição da monarquia na França, em 1792.A queda da Bastilha, em 14 de Julho de 1789, pelos opositores do Antigo Regime, foi um dos símbolos máximos das revoluções burguesas que assolaram o mundo a partir da segunda mentade do século XVIII e considerada pela historiografia tradicional o marco inicial da Revolução Francesa.

- Fernando de Aragão e Isabel de Castela = governaram a Espanha no século XVI. A Península Ibérica, durante o século VIII, teve grande parte de seus territórios dominados pelos árabes que, inspirados pela jihad muçulmana, empreenderam a conquista de diversas localidades do Oriente e do Ocidente. Na porção centro-sul, os árabes consolidaram a formação do Califado de Córdoba, enquanto a região norte ficou sob controle dos reinos cristãos de Leão, Castela, Navarra, Aragão e o Condado de Barcelona.

Por volta do século XI, esses reinos católicos resolveram formar exércitos que – inspirados pelo movimento cruzadista – teriam a missão de expulsar os “infiéis” muçulmanos daquela região. A partir de então, a chamada Guerra de Reconquista se alongou até o século XV. Com o desenvolvimento desses conflitos, os diferentes reinos participantes do combate conseguiram reduzir a presença dos muçulmanos e conquistar novas terras que enriqueceram tais governos.

- D. João V (Dinastia de Bragança) = governou Portugal de 1707 até 1750. Ainda que as cortes confirmaram a ascensão da dinastia de Bragança e a coroação de João IV em 28 de Janeiro de 1641, o sucesso do novo regime não foi assegurado senão em 1668 quando a Espanha reconheceu a independência de Portugal.Para poder enfrentar o perigo das invasão Espanhola, João IV mandou emissários a todas as cortes da Europa para conseguir alianças. A França recusou um tratado formal, Os Holandeses que se tinham apoderado do nordeste do Brasil, aceitaram tréguas na Europa mas capturaram Angola aos Portugueses.

João IV fez um tratado (1641) com Carlos I de Inglaterra, que foi cancelado devido à sua execução (1649). Entretanto, os portugueses bateram os espanhóis no Montijo (26 de Março de 1644) e defenderam-se de várias invasões. Em 1654 negociaram um tratado com a Inglaterra, conseguindo ajuda para concessões comerciais.
Os Holandeses foram finalmente expulsos do Pernambuco no nordeste do Brasil . Num artigo secreto do Tratado dos Pirinéus (1659), a França prometeu à Espanha não dar mais ajuda a Portugal, mas em 1661 Portugal assinou um tratado com a restaurada monarquia Inglesa. Em 1662 Charles II de Inglaterra casou com a filha de João IV, Catarina de Bragança que levou como dote Bombaim e Tanger, e os ingleses forneceram homens e armas para a guerra com a Espanha.
 

Por: Rebeca Agnes 7ªc.

Um comentário:

  1. obrigado pela publicação ajudou muito no meu trabalho de historia

    ResponderExcluir